O QUE FALAMOS

Sua Empresa Valoriza ou Sufoca os Talentos?

Essa pode ser a diferença entre ter uma equipe comprometida ou totalmente alienada. Talento

As forças que emergem naturalmente de cada ser humano podem ser represadas, desviadas e inibidas. Ou podem fluir,  potencializando seus efeitos rumo ao desenvolvimento de competências que transformam realidades e trazem resultados surpreendentes. Essas forças são os talentos: padrões recorrentes e automáticos de pensamentos, sentimentos e comportamentos característicos de cada pessoa.

E como profissionais de desenvolvimento, podemos atuar de forma a inibi-los ou alavancá-los. Tudo depende de como os tratamos. Quando tentamos mudar a natureza das pessoas, forçando-as a fazer as coisas de uma forma pré-concebida estamos trilhando um caminho desgastante, e muito pouco produtivo. Estamos lutando contra a natureza, em uma batalha na qual todos perdem. Por outro lado, quando ajudamos os colaboradores da nossa organização no reconhecimento, compreensão e desenvolvimento de seus talentos estamos dando-lhes alavancas para catapultar seus resultados – e sua satisfação pessoal – a alturas inéditas.

Em teoria, as pessoas até acham que faz mais sentido investir nas forças do que nas fraquezas. Mas na prática não é isso que acontece. Pergunte a cem profissionais, quantos saíram de sua última avaliação de desempenho com mais tarefas para melhorar aquilo no que eram bons do que com a missão de corrigir seus defeitos. Ouso apostar que não mais do que um ou dois. Sendo otimista. Não ficaria surpreso se a maioria esmagadora dissesse ter recebido apenas tarefas relacionadas à superação de suas deficiências. O que contraria até os fundamentos mais essenciais da gestão, proclamados há décadas pelo seminal Peter Drucker, considerado o “pai do management”, que disse que não se constrói sucesso sobre fraquezas, mas baseando-se em forças. Mais do que isso, para aqueles que gostam de dados mais do que opiniões, essa prática afronta diametralmente a extensa pesquisa que vem sendo desenvolvida e aperfeiçoada constantemente pelo Gallup nas últimas décadas. Pesquisa essa que estabelece um claro índice de correlação entre o comprometimento de uma pessoa e sua oportunidade de colocar em prática o que tem de melhor em si.

Então, nós, como profissionais de desenvolvimento, precisamos nos conscientizar da importância de criar mecanismos que instrumentalizem os profissionais das nossas empresas, principalmente os líderes, para que eles possam focar o crescimento dos seus liderados em suas aptidões. O que não é simples, já que, em função do vasto histórico de foco das organizações nas deficiências, mal existe dentro das empresas um vocabulário que permita dialogar de forma clara sobre os talentos.

A partir dessa constatação, os cientistas comportamentais e estatísticos do Gallup desenvolveram uma metodologia para identificar, desenvolver e orientar o uso desses talentos, começando com a construção de um léxico dos talentos e navegando rumo à criação de ferramentas práticas para o seu cultivo e aplicação. Uma metodologia que vem fascinando aqueles que a conhecem e trazendo resultados surpreendentes àqueles que a aplicam. E é também por isso que a Ynner se fiou nessa abordagem para desenvolver métodos que permitam aos profissionais de RH aplicar uma abordagem baseada em talentos e pontos fortes para proporcionar oportunidades de crescimento aos colaboradores de suas empresas.

Para conhecer a abordagem e os instrumentos de desenvolvimento que permitem sua empresa se transformar numa organização orientada para as aptidões das pessoas, entre em contato conosco pelo e-mail comercial@ynner.com.br e solicite uma visita de nossos consultores.


Tags • Competências Recursos Humanos Treinamento & Desenvolvimento

Leia Também

[Dica de Leitura] “How to Spot Good Learners” da Revista Talent Development [Dica de Leitura] “How to Spot Good Learners” da Revista Talent Development Tubarões que Ensinam Tubarões que Ensinam Ampliação do Papel de T&D Ampliação do Papel de T&D Você contra o tédio no trabalho! Você contra o tédio no trabalho!

Comentários


BUSCA

Receba nossos conteúdos por e-mail: